18 de mai de 2013

Os dois últimos rebaixados de 2013

Tocantins e Araguaína são os dois últimos clubes rebaixados nos Campeonatos Estaduais 2013. A dupla perdeu, neste sábado, pela última rodada do 2º Turno e acabou degolada no Tocantinense. O descenso no Estadual foi definido pela somatória de pontos dos dois turnos. Ao todo, 47 clubes foram rebaixados nas disputas estaduais. Confira:

ACRIANO
Náuas

ALAGOANO
Sport e União

AMAZONENSE
Tarumã e Rio Negro

BAIANO
Fluminense de Feira e Atlético de Alagoinhas

BRASILIENSE
Brazlândia e Botafogo

CAPIXABA
Espírito Santo e Rio Branco

CARIOCA
Olaria e Quissamã

CATARINENSE
Camboriú e Guarani

CEARENSE
São Benedito e Maracanã

GAÚCHO
Santa Cruz, Cerâmica e Canoas

GOIANO
Itumbiara e Rio Verde

MARANHENSE
Americano e São José

MATO-GROSSENSE
Vila Aurora

MINEIRO
Araxá e América Teófilo

PARAENSE
Independente e Castanhal

PARAIBANO
Cruzeiro e Paraíba

PARANAENSE
Nacional e Paranavaí

PAULISTA
Guarani, União Barbarense, São Caetano e Mirassol

PERNAMBUCANO
Belo Jardim e Petrolina

POTIGUAR
Potyguar

RONDONIENSE
Ji-Paraná

SERGIPANO
América e Boca Júnior

SUL-MATO-GROSSENSE
Chapadão e Corumbaense

TOCANTINENSE
Tocantins e Araguaína
Vamos continuar apostando na Timemania

2 comentários:

Anônimo disse...

ACRIANO?????

Se errassem o nome de algum estado do Nordeste a gritaria seria grande...

Sérgio Fraiman disse...

Nova Ortografia - Agora, quem nasce no Acre é "acriano", com "i"

Quem nasce em Cabo Verde é cabo-verdiano; quem nasce no arquipélago dos Açores é açoriano. Observe a terminação da palavra, o sufixo "-iano". Segundo a convenção ortográfica anterior, quem nascia no Estado do Acre, no Brasil, era acreano e quem nascia na cidade de Torres, no Estado do Rio Grande do Sul, era torreense. Os sufixos, nesses casos, eram "-eano" e "-eense".

O Novo Acordo vem uniformizar todas essas grafias, recomendando o emprego das formas "-iano" e "iense", já comuns em muitos termos. Assim, "acreano" cede lugar a "acriano", esta a única grafia correta agora. O mesmo vale para quem é natural de Torres, que agora passa a "torriense", com "i".
Convém lembrar que os naturais da Guiné-Bissau, país africano de língua portuguesa, continuam sendo "guineenses". Do mesmo modo, os habitantes da Guiné continuam sendo "guineanos". Isso ocorre porque o nome "Guiné" termina com "e" tônico (veja-se o acento). A substituição do "e" pelo "i" dá-se somente quando o nome de origem termina em "e" átono (como "Acre").

Fonte: UOL - Educação

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.