24 de out de 2015

Nova lei incentiva sócio-torcedor e deve reduzir meia-entrada

A Abrarenas, associação que reúne gestores de arenas de todo o país, acredita que haverá uma diminuição no preço dos ingressos para jogos de futebol com a regulamentação da lei da meia-entrada, que entra em vigor em 1º de dezembro.
Há, porém, uma "pegadinha", que pode fazer com que a diferença não seja sentida por parte dos torcedores.
A medida restringe o benefício a uma cota de 40% em bilheterias, em todos os setores disponíveis, válidos para todos os segmentos, como shows e teatros também.
Dessa forma, no entendimento da entidade, haverá um planejamento melhor, que poderá resultar na redução dos valores cobrados nos bilhetes vendidos.
Acontece, porém, que a nova regulamentação oficializa a prioridade dos sócios-torcedores em detrimento da meia-entrada. Ou seja, se para um jogo o clube conseguir realizar toda a venda para os associados, não precisa garantir nenhuma porcentagem para meia-entrada.
Além disso, um benefício não se soma a outro, como acontece atualmente no Flamengo –sócios recebem descontos pelo programa e conseguem ainda mais 50% por serem estudantes.
"Eu acredito que possa haver uma diminuição de 15% a 20% no preço dos ingressos. Antes, o produtor cobrava mais porque sabia que muita gente ia pagar metade. Com a mudança na lei, é possível fazer uma conta melhor e fazer preços mais razoáveis", afirmou Marcelo Flores, presidente da Abrarenas.
"Não vai mexer com os sócios-torcedores. Alguns clubes chegaram a ser autuados por não separarem ingressos para meia-entrada, sendo que vendiam tudo para os associados. Agora, não passarão mais por isso", completou o executivo.
Em São Paulo, apenas o Santos não foi advertido por não garantir ingressos com o benefício, recentemente.

FISCALIZAÇÃO
Alguns estádios começaram a fazer nas últimas semanas um controle maior para a venda da meia-entrada.
No Maracanã, por exemplo, o resultado sentido.
"Foram duas medidas combinadas: controle maior na venda e na entrada. A média era de 65% e caiu para menos de 40% apenas com uma fiscalização maior", afirmou Marcelo Frazão, diretor de marketing da Concessionária Maracanã.
No duelo entre Fluminense e Palmeiras, na última quarta-feira (21), as meias-entradas ficaram com apenas 33% dos torcedores.
Para Frazão, o controle maior é bom para todos os envolvidos no evento.
"É bom pra todo mundo. Para o torcedor, para o clube, para quem administra a arena. Você aumenta o ticket médio sem aumentar o preço. É mais receita no final. O torcedor tem o benefício garantido e o que via outros tendo vantagens de forma irregular param de se sentir prejudicados", finalizou.
Na opinião do diretor do Maracanã, como os preços no Rio são mais baixos se comparados a outros Estados, será difícil que haja uma redução no valor das entradas.
Ele acredita que a regulamentação da lei servirá para segurar um aumento que poderia chegar ou também um aumento em partidas mais importantes, como semifinais e finais, quando os valores normalmente disparam para os torcedores. 

Da Folha de São Paulo
Vamos continuar apostando na Timemania

0 comentários:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.