5 de jan. de 2020

Os últimos confrontos com portões fechados

Rogélio, Carlos Eduardo, Robson, Rogélio Ávila e Azul
Vasconcelos, Ângelo, Tony, Léo Papel, Joelan e Berg
imagem/Sérgio Fraiman

O último jogo do América com portões fechados foi no Campeonato Brasileiro de 2007, diante do Grêmio, no antigo Machadão. O confronto marcou a despedida do time rubro da Série A em Natal.
A equipe comandada pelo então técnico Paulo Moroni, naquela ocasião já rebaixada, atuou com Azul, Carlos Eduardo, Rogélio, Robson; Ângelo, Joelan, Tony e Vasconcelos (Binha) e Berg; Rogélio Ávila (Washington) e Léo Papel (Wendes). 
O tricolor gaúcho, que era dirigido por Mano Menezes, venceu por 3 a 0 utilizando os seguintes jogadores: Marcelo Grohe, Patrício, Leo, William e Bustos; William Magrão, Diego Souza, Maylson e Ramon (Sandro); Jonas (Jonathan) e Marcel (Tuta). 
No ano anterior, como visitante, o América enfrentou o Paysandu, em Belém, no estádio da Curuzu, na Série B, e perdeu por 1 a 0. Na temporada do acesso para a Série A, o técnico Roberval Davino formou o time com Fabiano, Roni, Márcio Santos e Robson; Adriano Peixe, Helder (Geovane), Du, Claudinho Baiano, Vainer (Didi); Leandro Sena (Eduardo) e Paulinho Marília. 
Com você, o Mecão é ainda mais forte. Seja Sócio!

0 comentários:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.