14 de fev de 2018

Pachequinho: prós e contras

Basta olhar algumas conversas em grupos de WhatsApp e até mesmo o resultado parcial da enquete do Vermelho de Paixão para constatar que o nome do técnico Pachequinho não foi unanimidade entre os torcedores do América. Longe disso. Há quase uma divisão meio a meio, que termina colocando uma grande interrogação no futuro da equipe. 
Quando um clube manda o seu técnico embora, o natural é chover nomes para ocupar a vaga. O celular do dirigente não tem um minuto de sossego. São empresários querendo emplacar algum cliente. Com o América a situação não deve ter sido diferente. Sem caixa para buscar um nome de peso, o ideal era encontrar um bom e barato. Gostem ou não, essa é a realidade atual do nosso clube. 
Pachequinho tem a grife de ter treinado o Coritiba no ano passado, além de carregar no currículo um bom período como auxiliar técnico. Treinou também equipes da base do time paranaense. É do mundo da bola. Foi ídolo e artilheiro do time do Alto da Glória. Sabe o cheiro do vestiário e tudo que cerca o dia a dia de um clube de futebol. E o principal: não deve ter pedido um salário fora da realidade do América. Não tenho dúvida que a combinação grife e salário foi determinante para a vinda de Pachequinho para o América.
Como tudo tem o outro lado, o novo técnico não deixa de ser uma aposta. Não conhece muito o futebol local. Vai encarar uma competição de tiro curtíssimo. Para se ter uma ideia, no próximo domingo metade do Estadual terá sido concluída. Restarão apenas sete jogos para ele conhecer a equipe e modificar alguma coisa. Tem ainda a questão do prazo para contratar, que acaba na véspera do início da quarta rodada do Segundo Turno.
Não tenho bola de cristal para saber o futuro de Pachequinho. Espero, torço e desejo que a sua passagem por aqui seja vitoriosa. A tolerância anda próxima de zero. A torcida anda impaciente (com razão). Se o primeiro turno ficou distante, o segundo virou obrigação. E não adianta apenas ter bom aproveitamento (Leandro Campos caiu com 83,3% no Estadual). O título é o que importa. 
Vamos continuar apostando na Timemania

0 comentários:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.